A emoção e o poder do Esporte

Expectativa é tudo. Nenhuma alma me mandou assistir a este filme: “Invictus”. Gosto de Clint Eastwood. Nunca me empolguei muito com Morgan Freeman, especialmente nos últimos anos. Mas quem, além dele, poderia fazer o papel de Nelson Mandela? Jack Nicholson, de repente? Não, só o Morgan mesmo. Matt Damon tem minha simpatia só e somente pela franquia “Jason Bourne”: três filmaços. E assim a partida foi iniciada.

A história gira em torno da ascensão de Mandela à Presidência de uma nova África do Sul: sem identidade, marcada pelas cicatrizes do apartheid; ao mesmo tempo em que o país se prepara para sediar a Copa do Mundo de Rugby – esporte preferido dos colonizadores. Os negros sul-africanos, que cresceram jogando futebol (o nosso, claro!), rejeitam a seleção caucasiana de seu país, capitaneada por  François Pienaar (Jason Bourne, ops… Matt Damon).

A divisão racial é visível por todos os lados, e invisível nas raízes sociais e nas cabeças de todas as pessoas que cresceram cultivando e convivendo com a segregação. Os colonizados cresceram torcendo contra a seleção dos “Springboks”. E é a visão do líder Mandela que faz a diferença: contra tudo e todos, dá exemplo e abraça a seleção do país. Nelson Mandela sabia muito bem que uma nova nação não seria possível sem um objetivo comum, sem identidade e principalmente, sem perdão. O fascínio pelo esporte possibilita que um país inteiro se una, esquecendo todos os males da sociedade.

O ritmo da primeira metade do filme deixa a desejar, mas a parte final vale o ingresso. Clint dirige de forma magistral. A montagem combina belas fotografias com a emoção do esporte – um pouco antes de os letreiros subirem, a sala de cinema tinha se tornado um grande estádio de torcedores fanáticos para Joel Santana nenhum do rugby botar defeito – me senti torcendo pelo Brasil na final de uma Copa do Mundo de… Futebol! Difícil não se emocionar com o final do filme.

Será que é necessário dizer que esta produção foi enlatada para o Oscar? Acredito que as indicações de Diretor (Clint Eastwood), Ator (Morgan Freeman) e Ator Coadjuvante (Matt Damon) seriam merecidas… somente as indicações, claro. Vamos conferir a lista amanhã.

Edu Valverde

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Edu Valverde, Filmaço!!!

Uma resposta para “A emoção e o poder do Esporte

  1. SilvaMatos

    Olá, gostaria de te convidar para participar de uma rede de conteúdo, se tiver interesse me adiciona no msn ocasional80@yahoo.com.br ou me manda um email. Abraços Junior

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s