Mr. Tambourine Man

No filme “Mentes perigosas” (1995), do diretor John N. Smith, Michelle Pfeiffer encarna uma professora que se utiliza de métodos nada ortodoxos para conseguir a atenção de alunos problemáticos em uma escola americana. Lá pelas tantas, ela resolve enveredar pelo significado dos versos da letra “Mr. Tambourine Man”, do músico-poeta Bob Dylan, como instrumento de aprendizado.

Considerada uma metáfora para tratar, de forma sub-reptícia, do tema das drogas em uma época de repressão e descobertas – estamos falando dos anos 1960 −, a música marca o ritmo existencial do adolescente interpretado por Henrique Larré no filme “Os famosos e os duendes da morte”, de Esmir Filho – o cara que deu um tapa na pantera (hit do YouTube). Segundo Esmir, a produção foi gestada no ato da leitura da novela homônima de tons poéticos do escritor Ismael Caneppele (roteirista de “Os famosos…”, juntamente com Esmir), e a intenção não era realizar uma mera adaptação.

“A idéia não era adaptá-lo, e sim criar um diálogo entre as palavras do livro e as imagens do filme, buscando sentimentos análogos para o leitor/espectador […] ‘Os famosos e os duendes da morte’ é um livro, um filme, fotos, vídeos e música” − registra o diretor na quarta capa do livro.

Grande vencedor do Festival do Rio 2009, acumulando o Troféu Redentor de Melhor Longa-Metragem de Ficção e o Prêmio Fipresci − decidido por um júri composto por Paulo Portugal (Presidente), Rodrigo Fonseca e Mario Abadde – o longa de estreia de Esmir trata dos dilemas enfrentados pelo personagem de Henrique, que vive entre a realidade e o sonho; dividido entre a desolação da inércia e o desejo de criar asas e fugir para algum outro lugar.

Morador (prisioneiro) de uma comunidade alemã no interior do Rio Grande do Sul, ele utiliza a Internet como janela para se comunicar com o mundo além das fronteiras da pequena cidade. Incomodado por uma promessa de futuro que não entende como seu, sente suas angústias entrarem em ebulição ao saber da possibilidade de testemunhar, in loco, um show do ídolo Bob Dylan.

Mas partir nem sempre é fácil, principalmente quando laços emocionais e telúricos impedem que você avance para o desconhecido. A produção permanece fiel ao livro ao espelhar para as telas, de forma onírica, a narrativa de fluxo de pensamento que alimenta a solidão do adolescente, sentimento que encontra eco em outros habitantes locais e, às vezes, é expresso de forma destrutiva. Introspectivo, ele procura seu universo não na realidade tangível, mas nas promessas do mundo virtual – espaço no qual consegue se comunicar com a facilidade que lhe é tão estranha nas relações humanas.

Tanto Henrique Larré como Tuane Eggers, que vive Jingle Jangle − a jovem suicida que joga sal nas feridas do espírito do menino, alimentando suas ilusões e frustrações −, foram encontrados na Internet. Há fotos e vídeos no filme que são parte do material postado na rede pela própria Tuane.

Nada mais oportuno para um filme de tons sombrios que fala acerca da impessoalidade fria, mas ao mesmo tempo confortadora, das interações de uma geração conectada; mas que também trata da inquietação da alma e do instinto necessário para lidar com esses conflitos. Uma narrativa sobre perdas e descobertas; passado e futuro; o lá e o aqui; solidão e conexão. As teclas delete e escape desta vez não podem ajudar nossos protagonistas a dispersar a interpretação lírica obrigatória do viver.

Carlos Eduardo Bacellar


Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Aprecie com Moderação (dá um caldo), Carlos Eduardo Bacellar

5 Respostas para “Mr. Tambourine Man

  1. Minha primeira vez no blog de vocês. Adorei e voltarei sempre!

    um abraço

  2. Olá,

    Em uma pesquisa no google cheguei a este agradável espaço!! Gostei e volto para ler mais. Posso listar seu site em meu blog?

    Abraços,

    Kleber
    oteatrodavida.blogspot.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s