Budrus é Just Vision

Sequencia 1 – Externa/Dia:

Do alto, um palestino observa a organização de forças armadas israelenses em seu vilarejo. Com um “machado” encostado nos ombros, está a postos.

Corta.

E assim começa o “roteiro” da vida de um cidadão comum num território ocupado. Na cabeça, o alerta do confronto iminente. A certeza é de incompreensão; até que alguém, imbuído de visão pacífica e obstinação, resolve mudar o curso da história.

É na trajetória de Ayer Morrar que se centra o documentário “Budrus”, aldeia na fronteira entre Israel e a Cisjordânia, dirigido pela brasileira Julia Bacha. No filme, parte da programação do Festival “É Tudo Verdade”, o chefe de família e líder comunitário, praticando a não-violência, une, do mesmo lado, israelenses progressistas, membros de organizações internacionais e líderes locais do Hamas e da Fatah. E consegue, na pluralidade de opiniões e experiências, liderar uma resistência pacífica na região, que acaba obrigando o governo israelense a afastar o “Muro de Segurança” e preservar os limites geográficos originais do vilarejo.

O filme tem grandes qualidades técnicas. O roteiro e a montagem são bacaníssimos e mesclam imagens de arquivo (*), câmeras reais do confronto e pontos de vista antagônicos. Mas o que mais me comoveu na obra, produzida pela Just Vision, foi o chamado à Humanidade. No documentário, é reforçada a via pacífica para a resolução dos conflitos no Oriente Médio. E alimentada a esperança de que a paz mundial sempre será uma opção viável — e  possível — toda vez que seres humanos se reconhecerem como iguais.

(*) Carlinhos (Mattos), o leitor mais atento do blog, me chamou a atenção para o emprego equivocado do termo “imagens de arquivo”. O certo seria imagens captadas por ativistas locais, que acompanharam a resistência ao levante do muro desde 2003.  Outro exemplo bacana são as imagens que mostram a visita de representantes sul-africanos à região, falando sobre o Apartheid e a necessidade de fomentar o diálogo, mesmo em momentos inimagináveis.

Helena Sroulevich

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Filmaço!!!, Helena Sroulevich

2 Respostas para “Budrus é Just Vision

  1. Olá Carlos Eduardo, pode me chamar de Gabi, todos me chamam assim!
    Fico feliz que gostou do blog, digo o mesmo para vocês.
    Apareça mais vezes por lá…também passarei sempre por aqui.

    um abraço
    Gabi

  2. Pingback: Filmes que os Doidos destacam na programação do Festival do Rio 2010 « Doidos por Cinema

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s