*Worst-case scenario: tentando sobreviver ao dia 31 de outubro com Michael Myers na sua cola

Ao eterno escoteiro @BearGrylls, o MacGyver do século XXI, que nos faz continuar sonhando com grandes aventuras: a chama se mantém acesa

“Com Michael Myers, por meio da sinonímia, aprendi o verdadeiro significado da palavra medo.”

Este que vos escreve

Já imaginou a pior situação? Saberia o que fazer caso encarasse a morte de perto? Utilizando técnicas de sobrevivência e meu instinto cinéfilo, vou mostrar a você (seja homem ou mulher) o que fazer se numa situação cotidiana acontecer o pior. Porque a diferença entre sobrevivência e catástrofe está em fazer a escolha certa.

O cenário “trevas” ao qual, hipoteticamente, submeterei você começa a ser arquitetado numa véspera de Dia das Bruxas, quando a sua família resolve visitar parentes distantes em Haddonfield − cidade **fictícia [ufa!] situada no Estado de Illinois, USA −, e arrastá-lo junto.

Para quem não sabe, Haddonfield é a cidade natal de Michael Myers (1957 – ?), assassino serial criado por John Carpenter e Debra Hill, ícone da franquia de terror “Halloween”. O local é o epicentro macabro de mortes por armas brancas nos EUA. Todas concentradas na mesma data. Nem a família Manson visitaria a cidade no dia 31 de outubro.

Você, inocente (quem sabe sobre o efeito de drogas psicotrópicas), embarca manso como um novilho rumo ao abatedouro. E só percebe que está prestes a dar seu último suspiro quando já é tarde demais.

Se algum dia estiver nessa situação, aqui vão alguns pontos que é melhor ter em foco. Dificilmente eles irão salvar a sua vida – já que você não merece, uma vez que foi estúpido o bastante para visitar a cidade errada na data errada – mas podem adiar seu esquartejamento.

Bem-vindo ao pior dos casos:

1)Se conseguir perceber a roubada em que irá se meter a tempo, fique o mais longe possível de Haddonfield no dia 31 de outubro. Invente qualquer coisa. Se sua família insistir em viajar, é preferível eles a você. É melhor passar o Dia das Bruxas no Asilo Arkham, sem a companhia do Batman, do que na cidade em questão;

2)Caso não seja possível evitar Haddonfield, nunca, em hipótese alguma, se aproxime da residência da família Strode. Aliás, é melhor não ficar dentro de residência alguma. Dirija-se a um Shopping Center e fique no meio da praça de alimentação, de preferência embaixo de alguma mesa, armado;

3)Caso tenha a impressão de estar sendo seguido, mesmo em plena luz do dia, tenha certeza de que está mesmo. Michael Myers adora o joguinho de gato e rato com as suas vítimas. E ele não teme a claridade, ao contrário de muitos psicopatas, que preferem a escuridão;

4)Se for inevitável travar contato com Michael Myers, entre em pânico. Seria pedir demais o contrário. Mas respeite os outros e preserve sua dignidade usando fralda geriátrica ou uma bolsa coletora ligada diretamente ao seu sistema excretor para disfarçar os efeitos colaterais do seu descontrole emocional. Não iremos pensar mal de você. Se mijar todo de medo sim, pois quem “tem” tem medo. Mas com decência;

5)Chamar a polícia de nada vai adiantar. Quando as forças da lei chegam a tempo de impedir algum massacre, elas sempre entram na casa errada, que sempre está ao lado da residência em que Michael Myers está treinando seus dotes de açougueiro em vítimas indefesas;

6)Quero dizer, tentar chamar por socorro se os telefones estiverem funcionando (eles quase nunca estão em filmes de terror) ou se alguém, do outro lado da linha, caso a ligação se complete, realmente acreditar que você está prestes a ser massacrado. O que geralmente não acontece, porque quem deveria socorrê-lo está mais ocupado com uma rosquinha ou com a telenovela;

7)Falando em aparelhos de televisão, 31 de outubro é uma péssima data para colocar os filmes de terror em dia. Os barulhos produzidos pelos atores abafam os gritos de desespero das vítimas de Michael Myers;

8)Recorrer às forças de segurança privada é outro erro. Os zeladores, vigias, seguranças, porteiros, bombeiros e policiais ganhando um extra com atividades extracorporação… Esses são sempre os primeiros a serem estripados pelo maníaco, passados na faca. E mais: Michael Myers vai sempre colocar os cadáveres em locais nos quais eles possam assustá-lo – produzindo chiliques que revelarão a ele sua exata localização −, como armários, refrigeradores, atrás de portas e cortinas. Ou seja, fique longe deles. Infelizmente, esses pobres coitados nada podem fazer para ajudá-lo;

9)Ao ser perseguido, evite a insegurança do lar. Casas são como tocas de coelho para uma cobra. E Michael Myers é a cobra. A anaconda do mal. O melhor a fazer é procurar um lugar movimentado (vide item 1), onde o doente mental possa encontrar uma maior variedade de vítimas e perder o interesse em você (temporariamente). O lado bom (para você) é que Myers não é seletivo. Quem parar na frente dele será operado com faca-espada Ginsu no ato, sem anestesia;

10)Não adianta correr do Michael Myers. Mesmo que você seja o Frank Caldeira, só vai gastar energia à toa. Mesmo andando na velocidade de um ancião, o psicopata vai sempre te alcançar. Sempre;

11)Não tente dialogar com o assassino. No entendimento de Michael Myers, todos são cadáveres. A única diferença entre você (ainda respirando) e um morto (de fato) é que você é um morto que (por enquanto) ainda fala e se mexe. Não há nenhum pingo de emoção dentro dele. Myers é destituído de qualquer senso de moral. Em sua cabeça doentia não há valores de certo e errado, bem e mal. Suplicar por sua vida só vai tornar seu fim mais patético;

12)Abstinência pode salvar sua vida. Escolha outro dia para fazer sexo. Além de ser uma distração, Michael Myers gosta de dilacerar jovens antes, durante e após o coito. Controle seus hormônios e fique atento. A última coisa que quer é aparentar frigidez ou broxar ao se deparar, durante o ato, com um mascarado de 2m de altura, avaliando sua performance com o olhar desprovido de piedade de um tubarão-branco e empunhando uma faca — na verdade ele estará refletindo sobre a melhor maneira de atravessar os dois corpos com somente uma estocada. Confundir a dor lancinante de uma facada atravessando seu esterno com um orgasmo não deve ser uma experiência interessante. Você vai ter tempo de sobra para dar vazão às suas necessidades se (tiver muita sorte e) conseguir sobreviver. Concluindo: aquela menina gatíssima, deusa loira de Ipanema, que divide as 24h do seu dia entre academia e salão de beleza, ou aquele moreno sarado cheio da grana do Alto Leblon, que ganhou do pai de aniversário um BMW X6 para percorrer 1km até a PUC, te convidou para uma festa do cabide? Esqueça;

13)Michael Myers não é à prova de balas, mas quase. Depois de atirar, atire mais um pouco. Depois, termine de descarregar o pente na cabeça dele. Quando as balas acabarem, utilize a arma de fogo como porrete até seus membros ficarem dormentes. Provavelmente ele ainda assim vai levantar, mas você poderá utilizar-se da ausência de sensibilidade dos braços para receber as primeiras facadas e não sentir dor;

14)Se você foi obrigado a partir para as vias de fato com o monstro e, acidentalmente, numa bênção do destino, conseguir derrubá-lo, mesmo que ele não esteja se mexendo é imperativo que você não interrompa o linchamento até que Myers se transforme em purê de batata, o que pode durar algumas horas. Um erro que muitos cometem, após miraculosamente derrubar o monstro, é sair correndo em desespero;

15)Uma vez encurralado, nunca o perca de vista. Michael Myers possui a incrível capacidade de se “teleportar”. Num piscar de olhos ele não está mais onde você acha que ele está. Você está sempre mais perto da lâmina da faca do que suspeita;

16)Michael Myers é um psicopata assassino, mas não é burro. Não tente enganá-lo com artifícios medíocres, como se ele fosse um zumbi da série The walking dead. O melhor a fazer é atraí-lo em direção a um reator nuclear e explodir a usina inteira com ele dentro;

17)A faca é o instrumento de trabalho de Myers, mas ele não se restringe a ela. Ele é uma espécie de MacGyver na arte de utilizar a criatividade para modificar a função de objetos, animados e inanimados. Além disso, Myers se orgulha de nunca ter matado ninguém com arma de fogo. Bom, pelo menos no sentido ortodoxo. Seria muito fácil, principalmente nos EUA, que possuem mais armas de fogo que habitantes por metro quadrado. Michael Myers gosta de desafiar nossas expectativas: até um cãozinho poodle, uma almofada ou uma garrafa pet podem servir como armas de destruição em massa. Leve isso muito a sério;

18)Dormir?! Em noite de Halloween?! Em Haddonfield?! Você só pode estar brincando! Mesmo que não estejamos falando sobre “A hora do pesadelo”… Quer facilitar o trabalho do Michael Myers?! Se você nunca pensou em correr uma maratona noturna, a hora é essa! Olhos abertos;

19)A situação descrita no item 14, pura sorte de principiante, provavelmente não vai se concretizar. Dito isso… Não tente fazer na mão com Michael Myers. Muitos tentaram. Muitos sucumbiram. Nem Steve Seagal, nem Rickson Gracie, nem Anderson “Spider” Silva, nem Vitor Belfort, nem o Bruce Lee, nem o Jason Voorhees, nem o Hulk… Nenhum deles conseguiria. Talvez o Chuck Norris… Mas, se eu fosse ele, não arriscaria. Aliás, Michael Myers, se tivesse as ideias no lugar, certamente seria campeão de MMA. Por causa de seus distúrbios psicológicos, nenhum patrocinador quis arriscar investir nele. Após matar seu oponente e o juiz, Myers certamente desceria do octógono e começaria a massacrar a plateia. Isso não é nada bom para a imagem do esporte;

20)Gritar por socorro ajuda a aliviar o estresse, mas ninguém vai te ouvir. Em Haddonfield, as ruas são desertas e escuras — marca registrada de todo filme de terror que se preze –, principalmente à noite. As casas parecem cemitérios. Muitas delas, graças ao trabalho de Michael Myers, são mesmo;

21)As garagens das casas de subúrbio americanas são paióis de armas para Michael Myers. As ferramentas domésticas de jardinagem e mecânica são tão eficazes nas mãos do psicopata quanto uma AR-15. E acredite, às vezes é melhor ser varado por uma saraivada de balas. Fique longe desses locais macabros;

22)No Dia das Bruxas fica mais fácil Michael Myers se mesclar no meio de multidões fantasiadas. Para complicar, a máscara que o doente usa é um adereço de Halloween encontrado facilmente em lojas especializadas. Como prevenir é melhor que remediar, não se aproxime de ninguém fantasiado com mais de 1,70m. Pode ser a última pessoa que você irá encontrar;

23)Postos de gasolina são paradas obrigatórias para Michael Myers. Sempre que ele escapa de algum sanatório e parte em sua sanha assassina em direção a Haddonfield, duas ou três almas desavisadas vão para o além por meio do gume da faca de Myers nesses locais;

24)Michael Myers é sinônimo de muito sangue e muitas vítimas lotando as emergências de hospitais. Myers adora visitar hospitais — é atraído para esses locais como um urubu por carniça; como um vampiro por sangue –, já que ele detesta deixar trabalhos incompletos, mas corpos não;

25)O Dr. Loomis está sempre atrás de seu paciente assassino fujão. É o único sujeito do mundo sem nenhum senso de autopreservação. Só que ele sempre chega tarde demais aos locais de chacina. Trocando em miúdos: pode parecer paradoxal, mas é uma boa ideia ficar perto do doutor, que é a pessoa menos propensa a cruzar o caminho de Myers, apesar de sempre querer o contrário. Em seu revisionismo autoral da trama hemorrágica, Rob Zombie acabou com a mística em torno da loomisluck esculhambando o psiquiatra em “Halloween II” (2009). A gente só perdoa por causa de Sheri Moon Zombie, a deliciosa esposa do diretor. Felizmente, desde “A casa dos mil corpos” (2003) Rob Zombie tenta emplacá-la como atriz. Que continue tentando! Mesmo assim, o conselho ainda vale. A faca não vai cair duas vezes no mesmo lugar. Bom… Com Myers ela cai várias vezes nos mesmos lugares… Quero dizer o seguinte… Esconda-se no túmulo de Loomis. Se não estivermos falando de uma Guerra Mundial Z, com zumbis no topo da cadeia alimentar vagando atrás de carne humana e tendo seus crânios esmagados pelo psicopata, o cemitério é o último lugar em que Myers irá procurar por vítimas. Caso você dê azar e tope com ele entre as covas, pelo menos já estará no lugar certo — vai facilitar o processo de sepultamento e economizar a grana da família no translado do corpo (ou do que sobrar dele);

26)Babás têm um alvo imaginário desenhado no meio da região abdominal. Michael Myers adora fazer sashimi com os intestinos delgados delas. Mesmo que elas sejam gostosas, e geralmente são, evite a proximidade com a classe no dia 31 de outubro – caso você seja um macho heterossexual (ou uma fêmea homossexual) com tesão, obviamente. Se for uma mãe em apuros, não por causa das toneladas de fraldas que a sufocam, mas por estar sendo caçada por Myers, utilize a babá como isca. Deixe ela tomando conta de um boneco — de preferência Chucky, o brinquedo assassino; ele e Michael Myers vão se entender bem — na casa A e corra com seu filho para o bunker Z;

27)Um erro clássico que as vítimas cometem em filmes de terror – e em “Halloween” não é diferente – é correr para o andar de cima das residências, em vez de deixar o local pela porta da frente. Agora, me fale sinceramente… O que você pretende aumentando voluntariamente sua distância do solo? Não bastassem as forças demoníaco-psicóticas que impulsionam Myers, você ainda quer municiá-lo com a força da gravidade?! Se você não conseguiu levar o item 2 ao pé da letra, pelo menos tente ser inteligente e não fuja para terreno mais alto. Não estamos falando de um filme de guerra. A estratégia aqui é fugir pelo sistema de esgoto, se for possível;

28)Michael Myers possui habilidades ninja, que o tornam algo próximo da entidade demoníaca da franquia “Atividade paranormal”. Ao contrário do suspense psicológico de “AP”, em que nada se vê mas tudo acontece, em “Halloween” tudo deve ser visto e, mesmo assim, é bem provável que aconteça… o pior. Myers está numa janela, de repente não está mais. Quase um ilusionista. Criss Angel deve morrer de inveja. Se você acha que avistou, mesmo que por uma fração de segundos, um lençol ou cortina balançando ao vento nas janelas de uma casa, não vá conferir se era isso mesmo. Não banque o herói (ou a heroína) tentando exorcizar o local com sua ousadia. A magia de Myers é mais forte que a sua, acredite. Se o psicopata de Carpenter fosse inserido no primeiro filme de “AP”, não haveria uma continuação;

29)Apesar de ter passado a maior parte da sua vida num sanatório, Michael Myers domina habilidades comuns aos socializados, como a capacidade de conduzir um automóvel. Carros nas mãos dele se transformam em Caveirões. Se notar que algum veículo suspeito persegue você a menos de 30km/h pelas ruas de Haddonfield, siga as instruções do item 4;

30)Se estiver escutando a música tema do filme lembre-se: você não está numa balada emo curtindo o som do DJ Janot. Comece a fazer suas preces. Em voz baixa, para evitar sua detecção imediata;

É claro que a trilha clássica não poderia ficar de fora deste post:

31)Michael Myers e apagão são duas faces da escuridão com semânticas diferentes. Sempre vai faltar luz nos locais de ataque. Portanto, uma boa ideia é carregar alguma fonte de iluminação a tiracolo. Se você acha melhor morrer no escuro (que hora para pensar em esconder o desmembramento de sua imagem…), desconsidere esta recomendação;

Todas as circunstâncias estão contra você, mas pense positivo. Dia das Bruxas só acontece uma vez por ano. Seja criativo e talvez consiga manter suas tripas no lugar. Caso você consiga sair de Haddonfield respirando, em um só pedaço, terá 364 dias para juntar dinheiro e viajar para o Japão no próximo 31 de outubro. Vai por mim, é melhor encarar a maldição do folclore japonês de “O grito” (Takashi Shimizu, 2004) do que Michael Myers.

O xerife que confeccionou este cartaz está mais doente que Michael Myers

Radiografando “Halloween”:

Halloween – A Noite do Terror (1978)

John Carpenter

Halloween II – O Pesadelo Continua (1981)

Rick Rosenthal

Halloween III – A Noite das Bruxas (1982)

Tommy Lee Wallace

Halloween IV – O Retorno de Michael Myers (1988)

Dwight H. Little

Halloween V – A Vingança de Michael Myers (1989)

Dominique Othenin-Girard

Halloween VI – A Última Vingança (1995)

Joe Chapelle

Halloween H20 – Vinte Anos Depois (1998)

Steve Miner

Halloween – Ressurreição (2002)

Rick Rosenthal

Halloween: O Início (2007)

Rob Zombie

Halloween II (2009)

Rob Zombie

Carlos Eduardo Bacellar

*Colaborou neste post o publicitário e músico @jasomcox, amigo de hoje e sempre.

**Antes de alguém chiar… Existe uma Haddonfield nos EUA, localizada em Nova Jérsei. Foi lá onde nasceu Debra Hill (1950-2005). A cidade homônima, da franquia Halloween, situada no estado de Illinois, é uma invenção dos dois criadores — Carpenter e Hill.

Estamos interessados em abrir uma agência de turismo especializada em promover passeios temáticos para Haddonfield, no dia 31 de outubro. No pacote está incluído um tour pelos locais de massacre. Você pode colaborar adquirindo nossas camisetas personalizadas. Parte da verba será revertida para o atendimento médico e psicológico de nossos clientes (os que retornarem vivos de modo a poder usufruí-lo, é claro):

Só quem é fã sabe por que o coração bate mais forte… E não só de medo.

Até o Mario aderiu:

Espero que depois dessas informações de segurança, para casos de emergência, você consiga dormir.

Faca na abóbora!!!

[As artes utilizadas neste post — cuja fonte principal é o site deviantart — foram pinçadas da Internet. Elas são fruto do trabalho de artistas, anônimos ou não, que por um motivo ou por outro resolveram deixar seus registros sobre essa figura aterrorizante do cinema, fonte de medo e fascinação, chamada Michael Myers]

Anúncios

25 Comentários

Arquivado em Carlos Eduardo Bacellar, Uncategorized

25 Respostas para “*Worst-case scenario: tentando sobreviver ao dia 31 de outubro com Michael Myers na sua cola

  1. Mto legal esse post. Happy Halloween!!!

  2. Beto

    Michel Myers é de longe o mais assustador psicopata dos classicos do terror. Ainda aguardo o lançamento do filme que prometeram Michael Myers Vs PinHead mesmo sabendo que virá a ser uma bomba.

  3. mas eu rachei de rir do seu texto! puta vontade de fazer um video encenando o texto1 parabéns!!

  4. e olha que eu vou conseguir dormir, bom, eu acho, poha, o Michael poderia pelo menos me comer antes de me matar né? humm megusta

  5. Vick

    /\
    I
    I
    I
    I

    Tenso

    Mas a a ideia é interessante kkk

  6. Carol Myers *

    Adorei!!! Parabéns pelo texto!!! Adoro, sou fã do Michael Myers, mas digamos que dia 31 de outubro é melhor se prevenir!!! KKKK!!! Muito bom!!!

  7. luiz

    eu sou muito fã do michael myers

  8. Mrs. Myers

    Eu vou me casar com Michael Myers, sem mais. Muito bom o texto, e tbm queria que ele me comesse antes de me matar, ele é muito gostoso, na moral! Eu tava assistindo aquele filme, Pânico 4, e aqui no Brasil poderia ter uma festa daquelas que eles fazem vendo todos os filmes “Facada”, só que com todos os filmes de Michael M., eu iria com certeza! E ser sincera, nem assisti todos os filmes pq nunca encontrei todos, só assisti os 4 primeiros, uma parte do H20, e os novos de Rob Zombie, o único que não gostei foi o 3, até pq não tem praticamente nada haver com Michael 😦 Nossa, falei demais :O Mas é pq não conheço nenhum fã de Michael, e amei esse texto e saber que não sou a unica apaixonada por esse brilhante e aterrorizante psicopata!

    • Mrs. Myers, o seu comentário foi o mais sensacional que o blog já recebeu! Muito obrigado por compartilhar sua paixão pelo psicopata. Não sei se você conseguiria oficializar seu matrimônio com o Myers, pois ele certamente mataria o padre antes do início da cerimônia, bem como todos na igreja — os que forem loucos de comparecer. Certamente a festa à qual você se refere iria ser hemorrágica. Apareça sempre para batermos um papo.
      Abraços!
      CEB

      • Mrs. Myers

        Poxa, me senti agora “o mais sensacional” 😛 Já que pelo visto você gosta de filmes de terror clássicos, me diz: quais os seus 10 filmes de terror favoritos que tenham sidos lançados antes do anos 90?

  9. uma arma de sedativos para animais podia resultar mas de preferencia com as drogas que o encharcaram myers no manicomio, resultou na ultima parte no filme ” a maldiçao de michael myers” era o recurso que utilizava, mas será que aquele casal e aquela criança sobreviveram nos proximos filmes?

    • Elisabete, meu amigo Beto, especialista na franquia “Halloween” e o cara que me ajudou a bolar este post, responde à sua dúvida: “Não teve sequência. O H6 não faz parte da franquia do John Carpenter. Aquela história ‘acabou’ ali. O que veio depois é o moderno H20, novamente nas mãos do Carpenter, que seria em tese uma sequência de 20 anos depois do fim da história do H2. Então foi como se o H4, H5 e H6 nunca tivessem existido nesse intervalo. Para completar, devemos nos lembrar de que o H3 não faz parte da sequência de histórias do Michael Myers; então também é ignorado como parte de sequência.”
      Abraços!
      CEB

  10. Mrs. Myers

    Eu ainda não consegui assistir o H20, não encontro em nenhum lugar :/

  11. guilherme rigo

    Adoro os filmes Halloween e Michael tbm,
    Bom saber que existem fanáticos por myers como eu hehehe…..

  12. Vinícius

    Post foda, mas só um detalhe: Halloween 2 – O Pesadelo Continua é do Rick Rosenthal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s