Drive

Estava com preconceito. Tudo me levava a crer que “Drive” seria puramente um filme de menino. Mas não é que eu gostei? Afinal, o que mais precisa um filme de ação senão carros, violência, boa estrutura narrativa e câmera agressiva? 🙂 Ah… precisa de um casinho de amor, vivido de maneira competente entre a Carey Mulligan e o (the best) Ryan Gosling, para que as meninas se entretenham no cinema enquanto seus namorados se deliciam com cada jato de sangue que parece jorrar tela afora.

Helena Sroulevich

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Helena Sroulevich, Quase uma Brastemp

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s