Arquivo da tag: Festival do Rio 2010

Últimos momentos do #FestivaldoRio em 140 caracteres

 

Em meio à repescagem e ao Campeonato Mundial de Voleibol Masculino, em Roma (A PRIORIDADE!), destacamos as últimas em 140 caracteres que encerram a nossa celebração do Festival do Rio.

#Carancho me cativou! Se não fosse o minuto final, seria maravilhoso! #FestivaldoRio
#FestivaldoRio “Comer Rezar Amar” não tem a densidade do livro e nem pretende. É filme para o público com exageros. E acertos, como Julia.
#FestivaldoRio “Você vai conhecer o homem dos seus sonhos” é Woody Allen mostrando que homens e mulheres também se alimentam de ilusões.
Em You Will Meet a Tall Dark Stranger só faltou uma piada de judeu. #FestivaldoRio
#FestivaldoRio Aprendi no bom doc AISHEEN: o zoo de Gaza se chama Al-Brazil, tem leão empalhado e um macaco agressivo apelidado Sharon.
#FestivaldoRio Em PASSIONE John Turturro faz elogio da música napolitana numa série desestruturada de clipes com ênfase em estereótipos
@soninha51

Em “A primeira coisa bela” aprendi que todas as insatisfações e tristezas com o mundo podem ser curadas com um banho de mar. #festivaldoRio
“Um Quarto em Roma” mostra que Julio Medem perdeu a mão. Se a ideia era fazer rir pelo ridículo, deu certo. #festivaldorio
#FestivaldoRio ARMADILLO e RESTREPO, filmes quase gêmeos. Mas o 2º é melhor: menos “construído”, mais potente dramaticamente
“Poesia” começa como filme de mulherzinha, incorpora gêneros e texturas e se despede em grande estilo. #festivaldorio
“The Killer Inside Me”, do Winterbottom, termina ao som de “Shame on You”. Acho que foi metáfora. #festivaldorio
Vi um filme mto foda ontem no #festivaldorio, sobre o José Martí. Produção fantástica, bons atores. Filmaço. Tentarei fazer download. 🙂
Em ‘Turnê’, Almaric se deixa levar pelo ego e se concentra no seu personagem. As meninas eram mais interessantes. #festivaldorio
‘Rubber’ parte de uma idéia sensacional. Mas fazer filme trash sem criatividade é dose. Um tédio.  #festivaldorio
“Turnê”, estreia do Mathieu Amalric como diretor, é bom, mas cansativo. #festivaldorio
“Rubber”, sobre o pneu assassino telecinético, é uma bela duma bosta. #festivaldorio
#FestivaldoRio ‘A vida durante a guerra’ é a tentativa frustrada de Solondz de emplacar a continuação de ‘Felicidade’. Sina: nível cai.
Machete: petardo trash cheio de sangue e decapitações, adorei! Num #FestivaldoRio com filmes lentos, foi um alívio divertido.
vi também “Turnê” que parecia ser bem legal pela sinopse, mas eu gostei só de algumas cenas, o filme como todo nem curti #festivaldorio
#FestivaldoRio ‘José Martí’ esculpe seu caráter em meio às agruras da busca de Cuba (e de seu povo) pela identidade. Neorrealismo cubano.
#FestivaldoRio Em ‘Turnê’, Mathieu Amalric extravasa sua tara pelo site http://migre.me/1ufZT. Decadência bem-humorada de tons fellinianos.
‘Scott Pilgrim contra o Mundo’ é criativo ao extremo, mas tem uma hora que cansa. Podia ser 20 min mais curto.  #festivaldorio
‘Ex Isto’ é um cine-ensaio belíssimo, muito criativo e imageticamente cativante. João Miguel, como sempre, soberbo.  #festivaldorio
‘Rico Ri à Toa’ é chanchada típica com casal de protagonista impagável. Por eles valeu o ingresso.  #festivaldorio
Filmes argentinos nunca decepcionam. Estou sem fôlego ate agora! Carancho arrebenta! E claro, Ricardo Darin é mestre!!!! #festivaldorio
Filme italiano sempre me faz rir e chorar aomesmo tempo. “La nostra vita” eh um bom exemplo disso. #festivaldorio
#FestivaldoRio Interessante ver em RICO RI À TOA as sementes de ASSALTO AO TREM PAGADOR. Sessão delícia no Odeon c/família de Zé Trindade
#FestivaldoRio Faltam-me inteligência e paciência para FILM SOCIALISME. Só ñ saí no meio por obrigação.
#FestivaldoRio “Culturas de Resistência” faz salada de ativismos ao redor do mundo. Boas intenções, medianos resultados
Falei que “Isto é o amor” é sublime. Lembro: belo é o que nos traz felicidade, sublime é o que nos causa incômodo. #FestivaldoRio
‘A Empregada’ é o primeiro GRANDE filme do #festivaldorio. Narrativa e estética compactuando com perfeição. Imperdível.
Helena Sroulevich
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Helena Sroulevich

E tem mais poesia em 140 caracteres do #FestivaldoRio

Galera, desculpem o atraso. A promessa de publicação era de 5 em 5 dias, mas a minha (mais do que festejada) alegria de eleger o Lindberg Senador pelo Rio de Janeiro unida à minha (mais do que revoltante) amargura pela não eleição da Dilma no primeiro turno me afastaram do espaço virtual.

Voltando à ocupação #FestivaldoRio, vejam algumas das “pérolas” em 140 caracteres encontradas na hashtag. Valerá para afastá-los de bizarrices nos próximos dias e aproximá-los dos títulos que devem ser conferidos na repescagem ou na distribuição em salas do circuito exibidor.

‘Bróder’ tem uns exageros, principalmente no uso de trilha sonora, mas é acima dos filmes de favela recentes. #festivaldorio
andymalafaya

‘Você vai conhecer o homem dos seus sonhos’ é sem inspiração, indiferente. Mais uma bola fora do Woody. #festivaldorio
Em noite em que todos esperavam Woody Allen, eis que rouba a cena Daniel Ribeiro. O garoto é foda! #festivaldorio
#festivaldorio “boca do lixo”: peréio, porra ! e daniel de oliveira mais uma vez dando um show de interpretação.

#festivaldorio “histórias reais de um mentiroso”: o melhor documentário do festival, sem dúvida nenhuma.
Filmaco o “carancho”. Ricardo darin fazendo papel de bandidao esta o maximo. Cinema argentino arrasando. #festivaldorio
#FestivaldoRio Diletantismo de Kiarostami, CÓPIA FIEL parece um Resnais menor. Qual será o original? Binoche brilha mais que tudo no filme

“Cópia Fiel” é um absurdo. Se não for o melhor, figura entre os grandes filmes do ano. #FestivaldoRio
“budrus”, de julia bacha, é fantástico! uma bela demonstração do poder da força de vontade e das manifestações pacíficas. #festivaldorio
“norberto apenas tarde” foi fofo, interessante e engraçado em alguns momentos, mas infelizmente não decolou #festivaldorio
Tio Boonme não me agrada esteticamente e não me diz absolutamente nada. Apichatpong é, na minha opinião, uma invenção.  #festivaldorio
Cópia Fiel tem tda uma discussão mto primária sobre index/duplos, além de uma ‘virada’ questionável. Binoche maravilhosa.  #festivaldorio
Destricted.br tem somente 1 curta minimamamente interessante (apesar de escatológicamente dispensável). O resto é fraco  #festivaldorio
Norberto Apenas Tarde é de uma simplicidade encantadora. Ao mesmo tempo, poderia ser mais ambicioso.  #festivaldorio
Memórias de Xangai é um doc quadradão misturando arquivo, entrevistas e ficcionalização sobre Xangai. MUITO longo.  #festivaldorio
Bati recorde de filmes em um só dia nesta edição do #festivaldorio: 5 (mas o recorde de tds os tempos ainda é 7, 3 anos atrás)
#FestivaldoRio Gostei do finlandês “O ciúme mora ao lado”, uma comédia sobre tema universal: divórcio. Surpresa na música final.
Gente, fiquei extasiado com ‘A Regata’! … Que filme lindooo! Há tempos não me emocionava no cinema! #FestivaldoRio
“Machete” é o filme mais inteligente, político, redondo e fodão de Robert Rodriguez. Do caralho. #festivaldorio
pulei fora do “Memórias de Xangai”. Documentário com velhinhos chineses contando suas histórias que só interessa a eles #lixo #festivaldorio
“O Homem do Lado” é uma bela comédia o tempo todo. Sua cena final amplia o negócio. #festivaldorio
#FestivaldoRio “Culturas de Resistência” faz salada de ativismos ao redor do mundo. Boas intenções, medianos resultados
Assisti “O Louco Amor de Yves Saint Laurent”.Lindo e emocionante o relato de Pierre Bergé.Que bonita foi a história dos dois! #festivaldorio
#festivaldorio “é candeia”: não necessariamente é um filme sobre candeia e sim um making of do musical sobre o mesmo. qualidade técnica ruim
Tentei evitar docs mas nao resisti a “blank city”, ainda bemm! Foi otimo rever aquela gente louca do underground novaiorquino #festivaldorio
“Senhor do Labirinto”:Bauraqui e Irandhir seguram o filme,que não decola. Só podiam ter caprichado um pouco mais na maquiagem #FestivaldoRio
“Somewhere” também não empolga. Parece filme de apartamento da uff, só que em Hollywood e fazendo auto-crítica. #FestivaldoRio
Na quinta, assisti Malu de Bicicleta, de Flávio Tambelline. Temática recorrente sobre o amor, mas bem trabalhada. Vale a pena.#festivaldorio
“Somewhere”, da Sofia Coppola, é um ótimo filme, dos que eu vi, acho que está no top 2 do #FestivaldoRio.
#FestivaldoRio Somewhere, de Socia Coppola: …………………………………………. aparece uma menina e QUASE salva o filme.
#FestivaldoRio “Rio Sex Comedy” é a maior bobagem do Festival. E eu nem preciso assistir a tudo pra ter certeza disto.
‘Somewhere’ é cheio de cacoetezinhos do cinema pós-moderno. Não passa de mero exercício de estilo.  #festivaldorio
‘O Senhor do Labirinto’ é biografia preguiçosa do grande Artur Bispo do Rosário. Irandhir engole o Bauraqui em cena.  #festivaldorio
Rio Sex Comedy sem mais  #festivaldorio
#festivaldorio “o senhor do labirinto”: poderia ser melhor mas a interpretação de flávio bauraqui compensa, forte candidato a melhor ator.
#festivaldorio “rio sex comedy”: um equívoco, achei um desperdício de investimento e talento.
#festivaldorio “como esquecer”: muito além do rótulo “romance gay” que acaba limitando o filme. melancolia pura. mas tem arieta correa 🙂
“Somewhere”, da Sofia Coppola, redescobre o velho e bom cinema independente americano, que andava tão maculado. Lindão. #festivaldorio
Decepcionada com “nosso fantastico seculo 21”. Cheguei a dormir um bom pedaço. faltou ritmo e roteiro. Pena! #festivaldorio
“A Casa Muda” tem um belo começo, mas empaca na pretensão. #festivaldorio
Cópia Fiel é Abbas brincando com simulacros e identidades. #festivaldorio
A Empregada é uma releitura mezzo kitsch dos filmes de intrigas familiares. Resultado: filmão. #festivaldorio
Todd Solondz continua um idiota. E tem um monte de gente que gosta. #festivaldorio
“Monstros” é uma surpresa adorável. E tem uma cena final lindíssima. #festivaldorio

Duvido que algum documentário do #FestivaldoRio seja tão bom quanto NOSTALGIA DA LUZ. Se pudesse, não voltaria ao cinema por 3 meses.
#FestivaldoRio Dos ossos humanos às estrelas, NOSTALGIA DA LUZ faz um brilhante e comovente ensaio sobre passado, memória e História
Delicia de filme o argentino quebra-cabeca. Dona de casa descobre dom e participa de campeonato de quebra-cabecas. #festivaldorio
Belo filme o patagonia. Personagens interessantes, belas paisagens e que trilha sonora. Otima surpresa #festivaldorio
#FestivaldoRio Não percam RESTREPO, o melhor doc intimista sobre guerra que vi até hoje. Aliás, o único. Filmaço
Não gostei muito de “A culpa é sua”. A história é boa, poderia ser aproveitada de forma diferente. #FestivaldoRio
“route irish” é um filme tradicional, sóbrio, correto. bem conduzido pelo ken loach, mas muito correto pra mim.. #festivaldorio
#FestivaldoRio Ken Loach recupera o punch com ROUTE IRISH e mostra a tragédia dos viciados em violência.
‘Como Esquecer’, hummm, difícil evitar o trocadilho. Tá difícil essa Premiere Brasil, viu?  #festivaldorio
‘Dois Irmãos’ é uma pequena história belamente contada, com dois ótimos atores.  #festivaldorio
‘Hiroshima’ tem planos lindos e é bastante surpreendente, porém aquém de ‘Whisky’.  #festivaldorio
#festivaldorio e vik muniz desfilou sua simpatia pelo galpão hj, humildade e talento lado a lado #lixoextraordinário @lixofilme
#festivaldorio “jean-michel basquiat: a criança radiante” mesmo para os que conhecem quase tudo sobre ele, o doc vale muito pelas imagens.
#festivaldorio “trampolim do forte” e as crianças (pesadelo de todo diretor) se saem muito bem na atuação.
#festivaldorio “trampolim do forte”: algo q me chamou a atenção é q o azul está p/o filme tanto quanto o vermelho está p/amélie poulain !
“América”, excelente filme. mas dou um guito pra quem não se embaralhar com tanto idioma e legenda #festivaldorio
Filmaco “route irish” do ken loach. Também sou suspeita, adoro esse cara. #festivaldorio
Falei que “Isto é o amor” é sublime. Lembro: belo é o que nos traz felicidade, sublime é o que nos causa incômodo. #FestivaldoRio
“Minhas Mães e Meu Pai” eu assisti ontem. Comecei com o pé direitíssimo. Filme incrível! Atuação fantástica de todo o elenco. #festivaldorio
#FestivaldoRio ROUTE IRISH = privatização da guerra que, almejando lucros a qualquer preço, putrefaz os valores morais e descrimina o Estado
#FestivaldoRio “Lixo Extraordinário” faz jus ao nome. É extraordinário! Belos personagens, bela mensagem, belo trabalho, Vik Muniz belo!
#FestivaldoRio “Com “Malu de Bicicleta” eu desencanei (para todo o sempre) de entender os homens. Boas risadas e Fernandinha arrebenta!
#FestivaldoRio Desidratei com “José & Pilar”. Documentário lindo que dimensiona Saramago na busca pela eternidade.
“Elvis e Madona”, mais um bom filme do #festivaldorio – inspirado num livro do @biajoni
#FestivaldoRio: Monstros: baixo orçamento fez filme mais humano, com casal com ótima química, mas confesso que senti falta de catástrofes.
#festivaldorio “lixo extraordinário”: doc + emocionante do festival. ovacionado pelo odeon lotado ! vik muniz gênio … não percam !
#festivaldorio “malu de bicicleta”: tão legal que vi 2 vezes. grande texto do marcelo rubens paiva, grande interpretação do marcelo serrado.
#festivaldorio “solidão e fé”: mesmo quem não curte o universo dos rodeios (como eu) acaba simpatizando com o doc
Trampolim do Forte é filme ‘denúncia’ q, consegue, no máximo, constranger. Fotografia publicitária e bons atores mirins  #festivaldorio
Libano eh um filmaco. Tenso e repleto de imagens fortes. Boa surpresa da noite. #festivaldorio
Assisti hoje pelo #FestivaldoRio, um filminho italiano muito simpático, “Mine Vaganti”.
#FestivaldoRio O ÚLTIMO TREM PARA CASA mostra o custo humano do crescimento chinês. Capitalismo de massa, famílias despedaçadas
Casal sem química+piadas razas+péssimo roteiro+machismo+peitos falantes+sabonete com pentelhos= “Malu de Bicicleta” #festivaldorio
Assisti Minhas Mães e Meu Pai (The Kids Are All Right). Fantástico! Juliane Moore maravilhosa, pra variar um pouco. Assistam! #festivaldorio
#FestivaldoRio ‘Líbano’ midiatiza a guerra pelo periscópio frio de um tanque em cujas entranhas de metal é incubada a contradição humana.
Bom filme o argentino “o mural” roteiro, elenco e producao impecavel. #festivaldorio
#FestivaldoRio: A favor de LÍBANO: o tanque de guerra vira câmera de cinema e quase um ser vivo. Mas o Leão de Veneza superestimou isso
#FestivaldoRio Contra LÍBANO: O drama dos soldados israelenses importa mais que suas vítimas. A claustrofobia de um filme autocentrado
Ontem, mais Première Brasil: Malu de Bicicleta. Não surpreendeu… Mas amigas editoras acharam boas a montagem e a fotografia #festivaldorio
#FestivaldoRio: A Empregada: melodrama coreano c/ humor fino e sensualidade. Estava indo bem até o final, bizarro demais. Mas valeu.
#FestivaldoRio Elvis & Madona: Não gostei da trilha, da montagem, das atuações, com exceção da belíssima Igor Cotrim. Mas o público gostou
#FestivaldoRio Elvis e Madona: um comentário com 140 caracteres é MUITO mais difícil quando você decididamente não gosta do filme.
‘Malu de Bicicleta’ é um filme que não acontece nunca e que se deixa levar pelos piores clichês ao final. #festivaldorio
A história de VIPs é muito boa, mas Wagner Moura está absolutamente brilhante fazendo ‘cinco’ no mesmo filme. Sou apaixonada. #festivaldorio
Elvis e Madona muito foda, parabéns ao diretor Marcelo Laffite pela ousadia #FestivalDoRIo
“Isto é o amor” me surpreendeu. É uma obra sublime, no sentido literal. O cinema alemão acaba de ganhar mais uma apaixonada. #FestivaldoRio

The Housemaid… Bem filmado, estilizadíssimo, atuações excelentes.. mas ainda falta alguma coisa #festivaldorio
#FestivaldoRio LOS LÁBIOS fica no puro fetiche do jogo doc-fic, mas não consegue produzir nada com isso. Uma pena para as boas atrizes
#FestivaldoRio BEBÊS não é só um filme bilu-bilu gracinha. Criou também a etnografia lactente: Conheça o mundo através de 4 nenéns
hj assisti “bebês” (achei chato, mas as pessoas pareciam estar gostando) e “of gods and man” (legal, mas meio cansativo) #festivaldorio
Na abertura, não consegui avaliar se A Suprema Felicidade, do Jabor, é bom ou ruim. A única certeza: Marco Nanini arrasa. #festivaldorio
#FestivaldoRio OF GOD & MEN é sóbrio e bem interpretado, mas elogia racionalismo democrático europeu contra “bárbaros” árabes
Vendo + um doc no #festivaldorio agora “the cove” sobre a matanca d baleias e golfinhos. Acabei d comer num japa, será q vai dar certo isso?
“Rio Sonata”: documentário simples, que te faz lembrar que o Rio é muito lindo e que a voz de Nana Caymmi é apaixonante! #festivaldorio

Helena Sroulevich

4 Comentários

Arquivado em Helena Sroulevich

#FestivaldoRio – 140 caracteres dos primeiros 5 dias!

“Pinto no lixo”.  É assim que os cinéfilos cariocas se sentem em seu carnaval fora de época – o Festival do Rio. “A gente trabalha o ano inteiro por um momento de sonho” e aproveita cada uma das 300 “micaretas” a nosso dispor.  E o resultado você conhece nas microresenhas (do Twitter) logo abaixo. Tem de tudo.  Coisa de “Doidos por Cinema”. E de “pinto no lixo”.

#FestivaldoRio Em ‘Comer, Rezar, Amar’ come-se bastante, reza-se o suficiente, mas amar mesmo, viu, ninguém ama. Next, Joolia.
#FestivaldoRio Em ‘A Mulher Sem Piano’, a senhorinha, tadinha, ficou sem piano. E eu, sem paciência.
#FestivaldoRio ‘Cortina de Fumaça’ é um doc cujo diretor resolveu fazer porque, de súbito, se interessou pelo problema das drogazzzzzzz
‘A Empregada’ é o primeiro GRANDE filme do #FestivaldoRio. Narrativa e estética compactuando com perfeição. Imperdível.
#FestivaldoRio ‘Sinto sua falta’ não faz jus ao filme, mais um drama centrado na ditadura argentina. Nunca acontece.
#FestivaldoRio dúvida: ou “buraco negro/l’autre monde” é uma obra-prima ou é uma bomba pretensiosa !
#FestivaldoRio A cabine ontem de COMPLEXO: UNIVERSO PARALELO foi ótima!Vale a pena ver este documentário,histórias de quem vive a realidade!
#FestivaldoRio SINTO SUA FALTA: Javier (15 anos) é forçado a deixar a Argentina por causa da ditadura militar dos anos 70.Filme perfeito!
#FestivaldoRio “À oeste de Plutão” retrata bem o jeito blasé que os adolescentes lidam com o mundo!!! Pra variar, gostei muito e indico!
O canadense A ÚLTIMA FUGA foi uma otima surpresa.Discute a questão de se tornar velho e indejado. Viver ou morrer? #ficaadica #FestivaldoRio
‘Cartas do Deserto’ até que tem seu charme! #FestivaldoRio
‘Kedma’ é um filme tenso, mas desta vez a tensão ficou por conta das muitas reclamações contra o ar-condicionado! #megafrio #FestivaldoRio
Faltou ao final de ‘Além da Estrada’ uma cartela do tipo “Visitem o Uruguai, comprem Omo e Qualy”. #FestivaldoRio
‘Essential Killing’ é um belo exercício de estilo. Excepcional trabalho de som e Gallo na garra. #FestivaldoRio
@tiagodearagao

#FestivaldoRio Zona Sur: retrato ficcional da aristocracia falida boliviana. Sem uma forte narrativa, o filme magnificamente observa.
Mulher Sem Piano com ótimos enquadramtos, força nas imagens e poucas falas. Ótimo filme sobre mulher que decide mudar sua rotina. #FestivaldoRio
#FestivaldoRio Fragmentos de Godard: O diretor, figura inquieta e inquietante, faz valer o filme. Só ele. Vindo da Le Fresnoy, esperava mais.
Foge da classificação comum “José&Pilar”.  Emocionante, viceral, essencial como o mestre. #FestivaldoRio
“A oeste de plutao” e +1 bom canadense,retratando o universo adolescente de quebec. Em alguns momentos me lembrou gus van sant #FestivaldoRio
“Mine Vaganti”, ótimo filme italiano. A criativa e poética sequência final me lembrou Fellini. Muito bonito. #FestivaldoRio
#FestivaldoRio Zhang Yimou cria faroeste kurosawiano que imbrica ganância, poder e traição num quebra-cabeça de dissimulações e humor negro.
“Minhas mães e meu pai” se saiu bem+do q eu esperava. Apesar dos cliches o filme aborda lucidamente o relacionamento gay familia #FestivaldoRio
#FestivaldoRio Chanchada de Zhang Yimou refere-se tanto aos Coen quanto a ele próprio (Ju Dou, Lanternas, Adagas). Diversão ocasional.
#FestivaldoRio Vi “José & Pilar” na cadeira atrás de Pilar e do diretor. Ela sorria docemente para a tela. Alguns choravam, não vi motivo.
@carmattos

#FestivaldoRio O argumento pode ser um fiapo, mas RISCADO faz um belo tecido de atuações, música e fotografia. Odeon em estado de graça.
#FestivaldoRio ‘Amores imaginários’ foca nos lados de triângulo (pseudo)amoroso escaleno de ângulos indecifráveis pela geometria sentimental.
#FestivaldoRio ‘The kids are all right’ desmistifica rotina de família não convencional:inteligente e bem-humorado. Dramas são assexuados.
#FestivaldoRio “Mario Filho” tem Nelson Rodrigues, João Maximo, apologia ao futebol brasileiro e O jornalista. É muita coisa.
#FestivaldoRio “Vips” é 5X Wagner Moura genial em um roteiro foda de Bráulio Mantovani com produção da O2. Falar o que mais? VEJA!
“Rio Sonata”: documentário simples, que te faz lembrar que o Rio é muito lindo e que a voz de Nana Caymmi é apaixonante! #FestivaldoRio
Tio Bonmee virou uma assombração no #FestivaldoRio Ninguém sabe, ninguém viu.
‘Elvis & Madona’ é o primeiro momento vergonha alheia do #FestivaldoRio. Tudo dá errado, e os protagonistas não são menos que péssimos.
‘Rio Sonata’ é doc quadradão que se deslumbra tanto com o Rio que se esquece da Nana Caymmi. Dá pro gasto. #FestivaldoRio
Cansei dos filmes turcos. Esse “Ayla” foi a gota dagua. Dramas novelescos nao estou podendo #FestivaldoRio
#FestivaldoRio “Memória Cubana”: me surpreendi positivamente c/o doc que mostra toda a genialidade de santiago alvarez e o trabalho do icaic.
Acabo de assistir o italiano “Ovelha Negra”, A. Celestini. De forma lírica ele conta a vida de um esquizofrênico. Bom filme! #FestivaldoRio
Vi “Minhas mães e meu pai”. O tema ultra contemporâneo retratado de forma divertida e sensível. Super recomendo! #FestivaldoRio
‘a woman, a gun and a noodle shop’ super fun, direção ótima, adaptação legal dos irmãos coen – apesar d personagens caricatos #FestivaldoRio
Vi também o nacional “Riscado” no Odeon. ADOREI! Retrato fiel da realidade de quem busca reconhecimento por meio da arte. #FestivaldoRio
Ontem vi “A boca do lobo”. Confesso que não gostei. Acho que a obra poderia ter sido resumida a um curta. #FestivaldoRio
#FestivaldoRio 180º: O filme contava com os elemento certos p/ um bom desenvolvimento, uma boa idéia de roteiro entrelaçado… mas perdeu-se
Minhas Mães e Meu Pai é um filme ‘inho’: bonitinho, engraçadinho, quadradinho, bem atuadinho. destaque pra Annette Bening #festivaldorio

Riscado é um dos filmes mais cruéis do cinema brasileiro recente. Um grande roteiro, uma grande atriz. De fazer chorar.  #FestivaldoRio
Complexo: Universo Paralelo é mais uma visão chapada da favela, com todos os clichês presentes, apesar da visão ‘externa’ #FestivaldoRio
Diário de uma Busca é uma jornada tão pessoal em busca do passado que fica difícil acomparnhar por vezes. E é longo d+. #FestivaldoRio
E será que com o divertido “Elvis e Madona” nasce o gênero do “queer cinema” no circuito comercial brasileiro? #FestivaldoRio

Deixe um comentário

Arquivado em Helena Sroulevich

#FestivaldoRio em 140 caracteres

Cinéfilos e twitteiros de plantão, uni-vos!

O registro do Festival do Rio não deve passar em branco. Sendo assim, de hoje até o dia 07 de outubro (e quiçá na repescagem também), publicaremos aqui no blog as “microresenhas” de 140 caracteres dos filmes programados no Festival.

E qual a melhor parte disto? Você também pode participar desta “doideira” pela sétima arte.

Bora ocupar o cyberespaço do #FestivaldoRio com a gente?

Siga as instruções:

Sempre que assistir a um dos 300 filmes do Festival, “tuíte” sobre ele iniciando seu ponto de vista com #FestivaldoRio. A triagem dos tweets com esta tag (#FestivaldoRio) será feita diariamente e entraremos em contato com você para publicarmos a sua microresenha.

Fácil, não? É só botar a cuca pra funcionar em 140 caracteres e o resto a gente faz.

Agora, se você faz o tipinho ansioso (como meu companheiro de blog CEB),  mande um lembrete sobre a sua microresenha publicada para o twitter @doidoscine e logo falaremos com você. Isto pode agilizar o processo. 🙂

Os primeiros filmes contemplados são (*):

#FestivaldoRio “A woman, a gun and a noodle shop” tá no caminho do meio dos Coen. Há bizarrice que dá vontade de rir. E é bem filmado pacas.
#FestivaldoRio “Nossa Vida Exposta” é tão exposta que eu saí do cinema assustada. Nossa vida é um BBB horripilante.
#FestivaldoRio “A Suprema Felicidade” é feito de supremas angústias, pessoas refém de escolhas. Pena que o pout-pourri estético atrapalha.

(*) Razão: é mais fácil pedir permissão de publicação a mim mesma. 😛

E tô aguardando as microresenhas de vocês. BORA!

Helena Sroulevich

6 Comentários

Arquivado em Helena Sroulevich

Filmes que os Doidos destacam na programação do Festival do Rio 2010

Cinéfilos, chegou a hora! Hoje tem início o Festival do Rio 2010. Maior celebração da sétima arte em solo carioca, o Festival atrairá a atenção de todos que são apaixonados por cinema para o Rio de Janeiro, de hoje até o seu encerramento, no dia 7 de outubro.

Os Doidos não vão ficar de fora da bagunça, óbvio. Namorando os dotes dos mais de 300 filmes que integram esta edição do Festival, divididos em 19 mostras, nós selecionamos algumas produções que consideramos imperdíveis. Algumas delas já foram contempladas com textos no blog, que podem ser acessados pelos links em destaque. Vamos aos filmes:

“Amores imaginários” (Xavier Dolan)

“Arquitetos do poder” (Vicente Ferraz e Alessandra Aldé)

“Budrus” (da corajosa e encantadora cineasta Julia Bacha, musa do blog)

A beleza da realizadora do mobilizador “Budrus”: a Julia Bacha faria a gente (a gente = Carlos Eduardo Bacellar) entrar de cabeça, e desarmado, no meio do conflito entre israelenses e palestinos só para defendê-la do perigo. Somente ela ganha foto aqui (prerrogativa do responsável pelo texto final deste post). Galanteios à parte, o filme é excepcional. Duro, mas comovente.

Ah, sim… A lista… Voltando…

“Carancho” (Pablo Trapero)

“Como esquecer” (Malu De Martino)

“Cópia fiel” (Abbas Kiarostami)

“The Cove” (Louie Psihoyos) Oscar de melhor documentário

“O garoto de Liverpool” (Sam Taylor Wood)

“José Martí: o olho do canário” (Fernando Perez)

“José & Pilar” (Miguel Gonçalves Mendes)

“Líbano” (Samuel Maoz)

“Lope” (Andrucha Waddington)

“Machete” (Robert Rodriguez e Ethan Maniquis)

“Malu de bicicleta” (Flávio Tambellini)

“Mário Filho, o criador de multidões” (Oscar Maron Filho)

“Minhas mães e meu pai” (Lisa Cholodenko)

“Nossa vida exposta” (Ondi Timoner)

“Os representantes” (Felipe Lacerda)

“Route irish” (Ken Loach)

“Scott Pilgrim contra o mundo” (Edgar Wright)

“Somewhere” (Sofia Coppola) Leão de Ouro em Veneza

“A suprema felicidade” (Arnaldo Jabor)

“Tio Boonmee, que pode recordar suas vidas” (Apichatpong Weerasethakul) Palma de Ouro em Cannes

“Turnê” (Mathieu Amalric)

“O último comandante” (Vicente Ferraz, Isabel Martinez Artavia)

“O último trem para casa” (Lixin Fan)

“A vida durante a guerra” (Todd Solondz!!! Diretor de “Bem-vindo à casa de bonecas” e “Felicidade”)

“Você vai conhecer o homem dos seus sonhos” (Woody Allen)

“A woman, a gun and a noodle shop” (Zhang Yimou)

Com toda certeza vamos nos esbarrar no meio da loucura dessa maratona, no caminho de uma sala para a outra. Bons filmes (e que sejam muitos!) para todos!

Carlos Eduardo e Helena

12 Comentários

Arquivado em Carlos Eduardo Bacellar, Filmaço!!!, Helena Sroulevich