Arquivo da tag: Twitter

Últimos momentos do #FestivaldoRio em 140 caracteres

 

Em meio à repescagem e ao Campeonato Mundial de Voleibol Masculino, em Roma (A PRIORIDADE!), destacamos as últimas em 140 caracteres que encerram a nossa celebração do Festival do Rio.

#Carancho me cativou! Se não fosse o minuto final, seria maravilhoso! #FestivaldoRio
#FestivaldoRio “Comer Rezar Amar” não tem a densidade do livro e nem pretende. É filme para o público com exageros. E acertos, como Julia.
#FestivaldoRio “Você vai conhecer o homem dos seus sonhos” é Woody Allen mostrando que homens e mulheres também se alimentam de ilusões.
Em You Will Meet a Tall Dark Stranger só faltou uma piada de judeu. #FestivaldoRio
#FestivaldoRio Aprendi no bom doc AISHEEN: o zoo de Gaza se chama Al-Brazil, tem leão empalhado e um macaco agressivo apelidado Sharon.
#FestivaldoRio Em PASSIONE John Turturro faz elogio da música napolitana numa série desestruturada de clipes com ênfase em estereótipos
@soninha51

Em “A primeira coisa bela” aprendi que todas as insatisfações e tristezas com o mundo podem ser curadas com um banho de mar. #festivaldoRio
“Um Quarto em Roma” mostra que Julio Medem perdeu a mão. Se a ideia era fazer rir pelo ridículo, deu certo. #festivaldorio
#FestivaldoRio ARMADILLO e RESTREPO, filmes quase gêmeos. Mas o 2º é melhor: menos “construído”, mais potente dramaticamente
“Poesia” começa como filme de mulherzinha, incorpora gêneros e texturas e se despede em grande estilo. #festivaldorio
“The Killer Inside Me”, do Winterbottom, termina ao som de “Shame on You”. Acho que foi metáfora. #festivaldorio
Vi um filme mto foda ontem no #festivaldorio, sobre o José Martí. Produção fantástica, bons atores. Filmaço. Tentarei fazer download. 🙂
Em ‘Turnê’, Almaric se deixa levar pelo ego e se concentra no seu personagem. As meninas eram mais interessantes. #festivaldorio
‘Rubber’ parte de uma idéia sensacional. Mas fazer filme trash sem criatividade é dose. Um tédio.  #festivaldorio
“Turnê”, estreia do Mathieu Amalric como diretor, é bom, mas cansativo. #festivaldorio
“Rubber”, sobre o pneu assassino telecinético, é uma bela duma bosta. #festivaldorio
#FestivaldoRio ‘A vida durante a guerra’ é a tentativa frustrada de Solondz de emplacar a continuação de ‘Felicidade’. Sina: nível cai.
Machete: petardo trash cheio de sangue e decapitações, adorei! Num #FestivaldoRio com filmes lentos, foi um alívio divertido.
vi também “Turnê” que parecia ser bem legal pela sinopse, mas eu gostei só de algumas cenas, o filme como todo nem curti #festivaldorio
#FestivaldoRio ‘José Martí’ esculpe seu caráter em meio às agruras da busca de Cuba (e de seu povo) pela identidade. Neorrealismo cubano.
#FestivaldoRio Em ‘Turnê’, Mathieu Amalric extravasa sua tara pelo site http://migre.me/1ufZT. Decadência bem-humorada de tons fellinianos.
‘Scott Pilgrim contra o Mundo’ é criativo ao extremo, mas tem uma hora que cansa. Podia ser 20 min mais curto.  #festivaldorio
‘Ex Isto’ é um cine-ensaio belíssimo, muito criativo e imageticamente cativante. João Miguel, como sempre, soberbo.  #festivaldorio
‘Rico Ri à Toa’ é chanchada típica com casal de protagonista impagável. Por eles valeu o ingresso.  #festivaldorio
Filmes argentinos nunca decepcionam. Estou sem fôlego ate agora! Carancho arrebenta! E claro, Ricardo Darin é mestre!!!! #festivaldorio
Filme italiano sempre me faz rir e chorar aomesmo tempo. “La nostra vita” eh um bom exemplo disso. #festivaldorio
#FestivaldoRio Interessante ver em RICO RI À TOA as sementes de ASSALTO AO TREM PAGADOR. Sessão delícia no Odeon c/família de Zé Trindade
#FestivaldoRio Faltam-me inteligência e paciência para FILM SOCIALISME. Só ñ saí no meio por obrigação.
#FestivaldoRio “Culturas de Resistência” faz salada de ativismos ao redor do mundo. Boas intenções, medianos resultados
Falei que “Isto é o amor” é sublime. Lembro: belo é o que nos traz felicidade, sublime é o que nos causa incômodo. #FestivaldoRio
‘A Empregada’ é o primeiro GRANDE filme do #festivaldorio. Narrativa e estética compactuando com perfeição. Imperdível.
Helena Sroulevich
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Helena Sroulevich

E tem mais poesia em 140 caracteres do #FestivaldoRio

Galera, desculpem o atraso. A promessa de publicação era de 5 em 5 dias, mas a minha (mais do que festejada) alegria de eleger o Lindberg Senador pelo Rio de Janeiro unida à minha (mais do que revoltante) amargura pela não eleição da Dilma no primeiro turno me afastaram do espaço virtual.

Voltando à ocupação #FestivaldoRio, vejam algumas das “pérolas” em 140 caracteres encontradas na hashtag. Valerá para afastá-los de bizarrices nos próximos dias e aproximá-los dos títulos que devem ser conferidos na repescagem ou na distribuição em salas do circuito exibidor.

‘Bróder’ tem uns exageros, principalmente no uso de trilha sonora, mas é acima dos filmes de favela recentes. #festivaldorio
andymalafaya

‘Você vai conhecer o homem dos seus sonhos’ é sem inspiração, indiferente. Mais uma bola fora do Woody. #festivaldorio
Em noite em que todos esperavam Woody Allen, eis que rouba a cena Daniel Ribeiro. O garoto é foda! #festivaldorio
#festivaldorio “boca do lixo”: peréio, porra ! e daniel de oliveira mais uma vez dando um show de interpretação.

#festivaldorio “histórias reais de um mentiroso”: o melhor documentário do festival, sem dúvida nenhuma.
Filmaco o “carancho”. Ricardo darin fazendo papel de bandidao esta o maximo. Cinema argentino arrasando. #festivaldorio
#FestivaldoRio Diletantismo de Kiarostami, CÓPIA FIEL parece um Resnais menor. Qual será o original? Binoche brilha mais que tudo no filme

“Cópia Fiel” é um absurdo. Se não for o melhor, figura entre os grandes filmes do ano. #FestivaldoRio
“budrus”, de julia bacha, é fantástico! uma bela demonstração do poder da força de vontade e das manifestações pacíficas. #festivaldorio
“norberto apenas tarde” foi fofo, interessante e engraçado em alguns momentos, mas infelizmente não decolou #festivaldorio
Tio Boonme não me agrada esteticamente e não me diz absolutamente nada. Apichatpong é, na minha opinião, uma invenção.  #festivaldorio
Cópia Fiel tem tda uma discussão mto primária sobre index/duplos, além de uma ‘virada’ questionável. Binoche maravilhosa.  #festivaldorio
Destricted.br tem somente 1 curta minimamamente interessante (apesar de escatológicamente dispensável). O resto é fraco  #festivaldorio
Norberto Apenas Tarde é de uma simplicidade encantadora. Ao mesmo tempo, poderia ser mais ambicioso.  #festivaldorio
Memórias de Xangai é um doc quadradão misturando arquivo, entrevistas e ficcionalização sobre Xangai. MUITO longo.  #festivaldorio
Bati recorde de filmes em um só dia nesta edição do #festivaldorio: 5 (mas o recorde de tds os tempos ainda é 7, 3 anos atrás)
#FestivaldoRio Gostei do finlandês “O ciúme mora ao lado”, uma comédia sobre tema universal: divórcio. Surpresa na música final.
Gente, fiquei extasiado com ‘A Regata’! … Que filme lindooo! Há tempos não me emocionava no cinema! #FestivaldoRio
“Machete” é o filme mais inteligente, político, redondo e fodão de Robert Rodriguez. Do caralho. #festivaldorio
pulei fora do “Memórias de Xangai”. Documentário com velhinhos chineses contando suas histórias que só interessa a eles #lixo #festivaldorio
“O Homem do Lado” é uma bela comédia o tempo todo. Sua cena final amplia o negócio. #festivaldorio
#FestivaldoRio “Culturas de Resistência” faz salada de ativismos ao redor do mundo. Boas intenções, medianos resultados
Assisti “O Louco Amor de Yves Saint Laurent”.Lindo e emocionante o relato de Pierre Bergé.Que bonita foi a história dos dois! #festivaldorio
#festivaldorio “é candeia”: não necessariamente é um filme sobre candeia e sim um making of do musical sobre o mesmo. qualidade técnica ruim
Tentei evitar docs mas nao resisti a “blank city”, ainda bemm! Foi otimo rever aquela gente louca do underground novaiorquino #festivaldorio
“Senhor do Labirinto”:Bauraqui e Irandhir seguram o filme,que não decola. Só podiam ter caprichado um pouco mais na maquiagem #FestivaldoRio
“Somewhere” também não empolga. Parece filme de apartamento da uff, só que em Hollywood e fazendo auto-crítica. #FestivaldoRio
Na quinta, assisti Malu de Bicicleta, de Flávio Tambelline. Temática recorrente sobre o amor, mas bem trabalhada. Vale a pena.#festivaldorio
“Somewhere”, da Sofia Coppola, é um ótimo filme, dos que eu vi, acho que está no top 2 do #FestivaldoRio.
#FestivaldoRio Somewhere, de Socia Coppola: …………………………………………. aparece uma menina e QUASE salva o filme.
#FestivaldoRio “Rio Sex Comedy” é a maior bobagem do Festival. E eu nem preciso assistir a tudo pra ter certeza disto.
‘Somewhere’ é cheio de cacoetezinhos do cinema pós-moderno. Não passa de mero exercício de estilo.  #festivaldorio
‘O Senhor do Labirinto’ é biografia preguiçosa do grande Artur Bispo do Rosário. Irandhir engole o Bauraqui em cena.  #festivaldorio
Rio Sex Comedy sem mais  #festivaldorio
#festivaldorio “o senhor do labirinto”: poderia ser melhor mas a interpretação de flávio bauraqui compensa, forte candidato a melhor ator.
#festivaldorio “rio sex comedy”: um equívoco, achei um desperdício de investimento e talento.
#festivaldorio “como esquecer”: muito além do rótulo “romance gay” que acaba limitando o filme. melancolia pura. mas tem arieta correa 🙂
“Somewhere”, da Sofia Coppola, redescobre o velho e bom cinema independente americano, que andava tão maculado. Lindão. #festivaldorio
Decepcionada com “nosso fantastico seculo 21”. Cheguei a dormir um bom pedaço. faltou ritmo e roteiro. Pena! #festivaldorio
“A Casa Muda” tem um belo começo, mas empaca na pretensão. #festivaldorio
Cópia Fiel é Abbas brincando com simulacros e identidades. #festivaldorio
A Empregada é uma releitura mezzo kitsch dos filmes de intrigas familiares. Resultado: filmão. #festivaldorio
Todd Solondz continua um idiota. E tem um monte de gente que gosta. #festivaldorio
“Monstros” é uma surpresa adorável. E tem uma cena final lindíssima. #festivaldorio

Duvido que algum documentário do #FestivaldoRio seja tão bom quanto NOSTALGIA DA LUZ. Se pudesse, não voltaria ao cinema por 3 meses.
#FestivaldoRio Dos ossos humanos às estrelas, NOSTALGIA DA LUZ faz um brilhante e comovente ensaio sobre passado, memória e História
Delicia de filme o argentino quebra-cabeca. Dona de casa descobre dom e participa de campeonato de quebra-cabecas. #festivaldorio
Belo filme o patagonia. Personagens interessantes, belas paisagens e que trilha sonora. Otima surpresa #festivaldorio
#FestivaldoRio Não percam RESTREPO, o melhor doc intimista sobre guerra que vi até hoje. Aliás, o único. Filmaço
Não gostei muito de “A culpa é sua”. A história é boa, poderia ser aproveitada de forma diferente. #FestivaldoRio
“route irish” é um filme tradicional, sóbrio, correto. bem conduzido pelo ken loach, mas muito correto pra mim.. #festivaldorio
#FestivaldoRio Ken Loach recupera o punch com ROUTE IRISH e mostra a tragédia dos viciados em violência.
‘Como Esquecer’, hummm, difícil evitar o trocadilho. Tá difícil essa Premiere Brasil, viu?  #festivaldorio
‘Dois Irmãos’ é uma pequena história belamente contada, com dois ótimos atores.  #festivaldorio
‘Hiroshima’ tem planos lindos e é bastante surpreendente, porém aquém de ‘Whisky’.  #festivaldorio
#festivaldorio e vik muniz desfilou sua simpatia pelo galpão hj, humildade e talento lado a lado #lixoextraordinário @lixofilme
#festivaldorio “jean-michel basquiat: a criança radiante” mesmo para os que conhecem quase tudo sobre ele, o doc vale muito pelas imagens.
#festivaldorio “trampolim do forte” e as crianças (pesadelo de todo diretor) se saem muito bem na atuação.
#festivaldorio “trampolim do forte”: algo q me chamou a atenção é q o azul está p/o filme tanto quanto o vermelho está p/amélie poulain !
“América”, excelente filme. mas dou um guito pra quem não se embaralhar com tanto idioma e legenda #festivaldorio
Filmaco “route irish” do ken loach. Também sou suspeita, adoro esse cara. #festivaldorio
Falei que “Isto é o amor” é sublime. Lembro: belo é o que nos traz felicidade, sublime é o que nos causa incômodo. #FestivaldoRio
“Minhas Mães e Meu Pai” eu assisti ontem. Comecei com o pé direitíssimo. Filme incrível! Atuação fantástica de todo o elenco. #festivaldorio
#FestivaldoRio ROUTE IRISH = privatização da guerra que, almejando lucros a qualquer preço, putrefaz os valores morais e descrimina o Estado
#FestivaldoRio “Lixo Extraordinário” faz jus ao nome. É extraordinário! Belos personagens, bela mensagem, belo trabalho, Vik Muniz belo!
#FestivaldoRio “Com “Malu de Bicicleta” eu desencanei (para todo o sempre) de entender os homens. Boas risadas e Fernandinha arrebenta!
#FestivaldoRio Desidratei com “José & Pilar”. Documentário lindo que dimensiona Saramago na busca pela eternidade.
“Elvis e Madona”, mais um bom filme do #festivaldorio – inspirado num livro do @biajoni
#FestivaldoRio: Monstros: baixo orçamento fez filme mais humano, com casal com ótima química, mas confesso que senti falta de catástrofes.
#festivaldorio “lixo extraordinário”: doc + emocionante do festival. ovacionado pelo odeon lotado ! vik muniz gênio … não percam !
#festivaldorio “malu de bicicleta”: tão legal que vi 2 vezes. grande texto do marcelo rubens paiva, grande interpretação do marcelo serrado.
#festivaldorio “solidão e fé”: mesmo quem não curte o universo dos rodeios (como eu) acaba simpatizando com o doc
Trampolim do Forte é filme ‘denúncia’ q, consegue, no máximo, constranger. Fotografia publicitária e bons atores mirins  #festivaldorio
Libano eh um filmaco. Tenso e repleto de imagens fortes. Boa surpresa da noite. #festivaldorio
Assisti hoje pelo #FestivaldoRio, um filminho italiano muito simpático, “Mine Vaganti”.
#FestivaldoRio O ÚLTIMO TREM PARA CASA mostra o custo humano do crescimento chinês. Capitalismo de massa, famílias despedaçadas
Casal sem química+piadas razas+péssimo roteiro+machismo+peitos falantes+sabonete com pentelhos= “Malu de Bicicleta” #festivaldorio
Assisti Minhas Mães e Meu Pai (The Kids Are All Right). Fantástico! Juliane Moore maravilhosa, pra variar um pouco. Assistam! #festivaldorio
#FestivaldoRio ‘Líbano’ midiatiza a guerra pelo periscópio frio de um tanque em cujas entranhas de metal é incubada a contradição humana.
Bom filme o argentino “o mural” roteiro, elenco e producao impecavel. #festivaldorio
#FestivaldoRio: A favor de LÍBANO: o tanque de guerra vira câmera de cinema e quase um ser vivo. Mas o Leão de Veneza superestimou isso
#FestivaldoRio Contra LÍBANO: O drama dos soldados israelenses importa mais que suas vítimas. A claustrofobia de um filme autocentrado
Ontem, mais Première Brasil: Malu de Bicicleta. Não surpreendeu… Mas amigas editoras acharam boas a montagem e a fotografia #festivaldorio
#FestivaldoRio: A Empregada: melodrama coreano c/ humor fino e sensualidade. Estava indo bem até o final, bizarro demais. Mas valeu.
#FestivaldoRio Elvis & Madona: Não gostei da trilha, da montagem, das atuações, com exceção da belíssima Igor Cotrim. Mas o público gostou
#FestivaldoRio Elvis e Madona: um comentário com 140 caracteres é MUITO mais difícil quando você decididamente não gosta do filme.
‘Malu de Bicicleta’ é um filme que não acontece nunca e que se deixa levar pelos piores clichês ao final. #festivaldorio
A história de VIPs é muito boa, mas Wagner Moura está absolutamente brilhante fazendo ‘cinco’ no mesmo filme. Sou apaixonada. #festivaldorio
Elvis e Madona muito foda, parabéns ao diretor Marcelo Laffite pela ousadia #FestivalDoRIo
“Isto é o amor” me surpreendeu. É uma obra sublime, no sentido literal. O cinema alemão acaba de ganhar mais uma apaixonada. #FestivaldoRio

The Housemaid… Bem filmado, estilizadíssimo, atuações excelentes.. mas ainda falta alguma coisa #festivaldorio
#FestivaldoRio LOS LÁBIOS fica no puro fetiche do jogo doc-fic, mas não consegue produzir nada com isso. Uma pena para as boas atrizes
#FestivaldoRio BEBÊS não é só um filme bilu-bilu gracinha. Criou também a etnografia lactente: Conheça o mundo através de 4 nenéns
hj assisti “bebês” (achei chato, mas as pessoas pareciam estar gostando) e “of gods and man” (legal, mas meio cansativo) #festivaldorio
Na abertura, não consegui avaliar se A Suprema Felicidade, do Jabor, é bom ou ruim. A única certeza: Marco Nanini arrasa. #festivaldorio
#FestivaldoRio OF GOD & MEN é sóbrio e bem interpretado, mas elogia racionalismo democrático europeu contra “bárbaros” árabes
Vendo + um doc no #festivaldorio agora “the cove” sobre a matanca d baleias e golfinhos. Acabei d comer num japa, será q vai dar certo isso?
“Rio Sonata”: documentário simples, que te faz lembrar que o Rio é muito lindo e que a voz de Nana Caymmi é apaixonante! #festivaldorio

Helena Sroulevich

4 Comentários

Arquivado em Helena Sroulevich

#FestivaldoRio – 140 caracteres dos primeiros 5 dias!

“Pinto no lixo”.  É assim que os cinéfilos cariocas se sentem em seu carnaval fora de época – o Festival do Rio. “A gente trabalha o ano inteiro por um momento de sonho” e aproveita cada uma das 300 “micaretas” a nosso dispor.  E o resultado você conhece nas microresenhas (do Twitter) logo abaixo. Tem de tudo.  Coisa de “Doidos por Cinema”. E de “pinto no lixo”.

#FestivaldoRio Em ‘Comer, Rezar, Amar’ come-se bastante, reza-se o suficiente, mas amar mesmo, viu, ninguém ama. Next, Joolia.
#FestivaldoRio Em ‘A Mulher Sem Piano’, a senhorinha, tadinha, ficou sem piano. E eu, sem paciência.
#FestivaldoRio ‘Cortina de Fumaça’ é um doc cujo diretor resolveu fazer porque, de súbito, se interessou pelo problema das drogazzzzzzz
‘A Empregada’ é o primeiro GRANDE filme do #FestivaldoRio. Narrativa e estética compactuando com perfeição. Imperdível.
#FestivaldoRio ‘Sinto sua falta’ não faz jus ao filme, mais um drama centrado na ditadura argentina. Nunca acontece.
#FestivaldoRio dúvida: ou “buraco negro/l’autre monde” é uma obra-prima ou é uma bomba pretensiosa !
#FestivaldoRio A cabine ontem de COMPLEXO: UNIVERSO PARALELO foi ótima!Vale a pena ver este documentário,histórias de quem vive a realidade!
#FestivaldoRio SINTO SUA FALTA: Javier (15 anos) é forçado a deixar a Argentina por causa da ditadura militar dos anos 70.Filme perfeito!
#FestivaldoRio “À oeste de Plutão” retrata bem o jeito blasé que os adolescentes lidam com o mundo!!! Pra variar, gostei muito e indico!
O canadense A ÚLTIMA FUGA foi uma otima surpresa.Discute a questão de se tornar velho e indejado. Viver ou morrer? #ficaadica #FestivaldoRio
‘Cartas do Deserto’ até que tem seu charme! #FestivaldoRio
‘Kedma’ é um filme tenso, mas desta vez a tensão ficou por conta das muitas reclamações contra o ar-condicionado! #megafrio #FestivaldoRio
Faltou ao final de ‘Além da Estrada’ uma cartela do tipo “Visitem o Uruguai, comprem Omo e Qualy”. #FestivaldoRio
‘Essential Killing’ é um belo exercício de estilo. Excepcional trabalho de som e Gallo na garra. #FestivaldoRio
@tiagodearagao

#FestivaldoRio Zona Sur: retrato ficcional da aristocracia falida boliviana. Sem uma forte narrativa, o filme magnificamente observa.
Mulher Sem Piano com ótimos enquadramtos, força nas imagens e poucas falas. Ótimo filme sobre mulher que decide mudar sua rotina. #FestivaldoRio
#FestivaldoRio Fragmentos de Godard: O diretor, figura inquieta e inquietante, faz valer o filme. Só ele. Vindo da Le Fresnoy, esperava mais.
Foge da classificação comum “José&Pilar”.  Emocionante, viceral, essencial como o mestre. #FestivaldoRio
“A oeste de plutao” e +1 bom canadense,retratando o universo adolescente de quebec. Em alguns momentos me lembrou gus van sant #FestivaldoRio
“Mine Vaganti”, ótimo filme italiano. A criativa e poética sequência final me lembrou Fellini. Muito bonito. #FestivaldoRio
#FestivaldoRio Zhang Yimou cria faroeste kurosawiano que imbrica ganância, poder e traição num quebra-cabeça de dissimulações e humor negro.
“Minhas mães e meu pai” se saiu bem+do q eu esperava. Apesar dos cliches o filme aborda lucidamente o relacionamento gay familia #FestivaldoRio
#FestivaldoRio Chanchada de Zhang Yimou refere-se tanto aos Coen quanto a ele próprio (Ju Dou, Lanternas, Adagas). Diversão ocasional.
#FestivaldoRio Vi “José & Pilar” na cadeira atrás de Pilar e do diretor. Ela sorria docemente para a tela. Alguns choravam, não vi motivo.
@carmattos

#FestivaldoRio O argumento pode ser um fiapo, mas RISCADO faz um belo tecido de atuações, música e fotografia. Odeon em estado de graça.
#FestivaldoRio ‘Amores imaginários’ foca nos lados de triângulo (pseudo)amoroso escaleno de ângulos indecifráveis pela geometria sentimental.
#FestivaldoRio ‘The kids are all right’ desmistifica rotina de família não convencional:inteligente e bem-humorado. Dramas são assexuados.
#FestivaldoRio “Mario Filho” tem Nelson Rodrigues, João Maximo, apologia ao futebol brasileiro e O jornalista. É muita coisa.
#FestivaldoRio “Vips” é 5X Wagner Moura genial em um roteiro foda de Bráulio Mantovani com produção da O2. Falar o que mais? VEJA!
“Rio Sonata”: documentário simples, que te faz lembrar que o Rio é muito lindo e que a voz de Nana Caymmi é apaixonante! #FestivaldoRio
Tio Bonmee virou uma assombração no #FestivaldoRio Ninguém sabe, ninguém viu.
‘Elvis & Madona’ é o primeiro momento vergonha alheia do #FestivaldoRio. Tudo dá errado, e os protagonistas não são menos que péssimos.
‘Rio Sonata’ é doc quadradão que se deslumbra tanto com o Rio que se esquece da Nana Caymmi. Dá pro gasto. #FestivaldoRio
Cansei dos filmes turcos. Esse “Ayla” foi a gota dagua. Dramas novelescos nao estou podendo #FestivaldoRio
#FestivaldoRio “Memória Cubana”: me surpreendi positivamente c/o doc que mostra toda a genialidade de santiago alvarez e o trabalho do icaic.
Acabo de assistir o italiano “Ovelha Negra”, A. Celestini. De forma lírica ele conta a vida de um esquizofrênico. Bom filme! #FestivaldoRio
Vi “Minhas mães e meu pai”. O tema ultra contemporâneo retratado de forma divertida e sensível. Super recomendo! #FestivaldoRio
‘a woman, a gun and a noodle shop’ super fun, direção ótima, adaptação legal dos irmãos coen – apesar d personagens caricatos #FestivaldoRio
Vi também o nacional “Riscado” no Odeon. ADOREI! Retrato fiel da realidade de quem busca reconhecimento por meio da arte. #FestivaldoRio
Ontem vi “A boca do lobo”. Confesso que não gostei. Acho que a obra poderia ter sido resumida a um curta. #FestivaldoRio
#FestivaldoRio 180º: O filme contava com os elemento certos p/ um bom desenvolvimento, uma boa idéia de roteiro entrelaçado… mas perdeu-se
Minhas Mães e Meu Pai é um filme ‘inho’: bonitinho, engraçadinho, quadradinho, bem atuadinho. destaque pra Annette Bening #festivaldorio

Riscado é um dos filmes mais cruéis do cinema brasileiro recente. Um grande roteiro, uma grande atriz. De fazer chorar.  #FestivaldoRio
Complexo: Universo Paralelo é mais uma visão chapada da favela, com todos os clichês presentes, apesar da visão ‘externa’ #FestivaldoRio
Diário de uma Busca é uma jornada tão pessoal em busca do passado que fica difícil acomparnhar por vezes. E é longo d+. #FestivaldoRio
E será que com o divertido “Elvis e Madona” nasce o gênero do “queer cinema” no circuito comercial brasileiro? #FestivaldoRio

Deixe um comentário

Arquivado em Helena Sroulevich

#FestivaldoRio em 140 caracteres

Cinéfilos e twitteiros de plantão, uni-vos!

O registro do Festival do Rio não deve passar em branco. Sendo assim, de hoje até o dia 07 de outubro (e quiçá na repescagem também), publicaremos aqui no blog as “microresenhas” de 140 caracteres dos filmes programados no Festival.

E qual a melhor parte disto? Você também pode participar desta “doideira” pela sétima arte.

Bora ocupar o cyberespaço do #FestivaldoRio com a gente?

Siga as instruções:

Sempre que assistir a um dos 300 filmes do Festival, “tuíte” sobre ele iniciando seu ponto de vista com #FestivaldoRio. A triagem dos tweets com esta tag (#FestivaldoRio) será feita diariamente e entraremos em contato com você para publicarmos a sua microresenha.

Fácil, não? É só botar a cuca pra funcionar em 140 caracteres e o resto a gente faz.

Agora, se você faz o tipinho ansioso (como meu companheiro de blog CEB),  mande um lembrete sobre a sua microresenha publicada para o twitter @doidoscine e logo falaremos com você. Isto pode agilizar o processo. 🙂

Os primeiros filmes contemplados são (*):

#FestivaldoRio “A woman, a gun and a noodle shop” tá no caminho do meio dos Coen. Há bizarrice que dá vontade de rir. E é bem filmado pacas.
#FestivaldoRio “Nossa Vida Exposta” é tão exposta que eu saí do cinema assustada. Nossa vida é um BBB horripilante.
#FestivaldoRio “A Suprema Felicidade” é feito de supremas angústias, pessoas refém de escolhas. Pena que o pout-pourri estético atrapalha.

(*) Razão: é mais fácil pedir permissão de publicação a mim mesma. 😛

E tô aguardando as microresenhas de vocês. BORA!

Helena Sroulevich

6 Comentários

Arquivado em Helena Sroulevich

Movie geeks fazem coisas de outro mundo

Em tempos de “Chico Xavier”, engana-se quem acha que  a bilheteria do primeiro final de semana ou notícias “do além” emplacarão o blockbuster em salas de cinema. É no Twitter que o futuro de “Chico Xavier” será psicografado; pelo menos é a conclusão que temos a partir das inferências dos pesquisadores da HP Labs, Sitaram Asur e Bernardo Huberman .

Durante três meses, nossos “movie geeks” monitoraram 2,9 milhões de tweets. Nestes, 24 títulos cinematográficos desde “Avatar” a “Lua Nova” foram mencionados por 1,2 milhões de usuários da rede social. E a margem de acerto dos pesquisadores foi de 97,3% para os resultados dos filmes na primeira semana de lançamento e 94%, para a segunda; superando previsões do Hollywood Stock Exchange, método usado pelos agentes de mercado.

Para a primeira semana, o cálculo utilizado foi uma média entre as menções em tweets sobre um determinado filme e o número de cópias/presença em salas do título na semana de seu lançamento. Para a segunda, em que o resultado já é influenciado pelo boca-a-boca, a média utilizada levou em consideração as menções negativas e positivas sobre o título propagadas via Twitter.

Caberiam perguntas a um estudo mais aprofundado, como dados de consumo de cinema nos EUA, nacionalidade dos twitteiros e resultado de bilheteria no mercado americano, faixa etária de usuários do Twitter e impacto diferenciado em títulos para distintos públicos-alvo e etc, mas não restam dúvidas que as redes sociais já se tornaram fundamentais para divulgar e mensurar os resultados de audiência.

Mais detalhes sobre o estudo:

http://www.stumbleupon.com/su/1rs1kP/www.fastcompany.com/1604125/twitter-predicts-box-office-sales-better-than-anything-else

Helena Sroulevich

2 Comentários

Arquivado em Helena Sroulevich